Loading...
Notícias

Notícias

Projeto Quimerismo: tudo o que você precisa saber

Projeto Quimerismo: tudo o que você precisa saber

Em 2014, a AES Tietê deu os primeiros passos com o Projeto Quimerismo, uma iniciativa inovadora em prol da preservação da espécie de peixe Bagre-Sapo, que está ameaçado de extinção, nas bacias do Rio Tietê. O projeto foi o ganhador do Prêmio Ética nos Negócios em 2018, na categoria ´Projeto de Sustentabilidade´.

Por meio de uma técnica japonesa, trazida com ineditismo para o Brasil pelo professor e responsável técnico do projeto, George Shigueki, as células do peixe Bagre-Sapo são transplantadas para outra espécie comum que vive nas bacias do Rio Tietê. Daí o nome “Quimerismo”, em referência à alteração genética que envolve a presença de dois ou mais materiais genéticos diferentes em um organismo. Ou então “barriga de aluguel”, apelido que ficou mais conhecido.

O trabalho foi desenvolvido e conduzido pela AES Tietê em parceria com a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e com o Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Peixes Continentais (CEPTA), que pertence ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e ao Ministério do Meio Ambiente.

Na primeira fase do Projeto Quimerismo, concluída em 2019, a AES montou o principal laboratório de biotecnologias da América do Sul para esse tipo de pesquisa, localizado em Pirassununga (SP), e utilizado atualmente por algumas universidades.

Em agosto de 2020, foi iniciada a segunda fase, que envolve etapas como a utilização de tecnologias avançadas em larga escala, voltadas especialmente para o setor hidrelétrico, e a internalização dos resultados obtidos para a construção de um novo laboratório na usina de Promissão (SP),  Assim, o objetivo é conseguir uma boa quantidade de solturas do peixe Bagre-Sapo nas bacias do Tietê, e quem sabe até expandir a técnica em benefício a outras espécies ameaçadas de extinção.

Como funciona a barriga de aluguel em peixes?

Os óvulos e espermatozóides de peixes Bagre-Sapo criados em tanques artificiais são gentilmente coletados;

Por meio da reprodução artificial, são formados os embriões dos peixes, os quais possuem um tipo de célula chamada Célula Germinativa Primordial (CGP);

As CGP são responsáveis pela produção de ovos e espermatozóides. Por meio da técnica de laboratório, ela é transplantada do peixe Bagre-Sapo para outra espécie;

Após o transplante, as células se desenvolvem no peixe receptor que, por sua vez, passa a produzir ovos e espermatozóides do doador.

Por que o peixe Bagre-Sapo?

É uma espécie de peixe caracterizada por ser pouco migradora, é base alimentar e pesqueira de comunidades ribeirinhas e está ameaçada de extinção devido ao aumento das intervenções das atividades humanas, dificultando ou até mesmo impedindo seu processo reprodutivo.

A inovação impulsiona as soluções oferecidas pela AES Tietê, e usá-la à favor das iniciativas sustentáveis de proteção do meio ambiente traz ainda mais satisfação para a companhia e equipe envolvida em projetos desse porte.