Loading...

Notícias

O futuro da energia renovável já é uma realidade nos dias de hoje.

O futuro da energia renovável já é uma realidade. Inovações como geração distribuída, veículos elétricos, armazenamento em baterias, entre outros, cada vez mais, fazem parte do nosso dia a dia. E vão mudar o nosso jeito de consumir energia.

A própria abertura do mercado livre  é um bom exemplo destas mudanças que estão transformando toda a cadeia de valor do setor. Até 2023, haverá uma ampliação gradual dos consumidores que poderão aderir ao mercado livre e comprar a energia diretamente das geradoras e comercializadoras. Isso trará um novo perfil de consumidor, com menor carga e necessidades específicas, que podem gerar demanda por novos produtos e serviços, cada vez mais centrados em atender as necessidades desse “novo” consumidor. Como você pode ver, o futuro, na verdade, já chegou.

 O futuro pede: energia renovável já

Para promover a descarbonização, ou seja, contribuir com a redução das emissões de CO2, um dos grandes causadores do efeito estufa, a Organização das Nações Unidas (ONU) estabeleceu, em 2015, os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que consistem em 17 metas a serem atingidas em âmbito global. Uma delas é impedir os avanços das mudanças climáticas. Ampliar o uso das energias renováveis é essencial para cumprirmos este objetivo.

Hoje, a energia eólica corresponde à um quarto da matriz elétrica no mundo e crescerá para 50%, por volta de 2035, segundo a consultoria McKinsey. No Brasil, a participação (ainda bem menor) também deve dobrar até lá.

Além de contribuir com a sustentabilidade, segundo a BNEF, os geradores de energia eólica tornam-se 14% mais baratos cada vez que a produção acumulada dobra. O preço cai graças ao avanço na engenharia de materiais, que permite geradores cada vez maiores e mais eficientes.

Fonte: ABEEólica, 2019.

Os consumidores do futuro são cada vez mais livres

No ano passado, o Brasil teve um crescimento de 24% no número de consumidores que optaram pelo mercado livre de energia elétrica. Entre os Estados que atingiram o maior percentual está o Pará, que superou a marca de mais de 50%, em 2019, segundo a ABRACEEL.

A chamada descentralização da energia também é uma forte tendência. Neste modelo, a produção de energia ocorre no próprio local (ou próximo) do consumo. Vantagens importantes como a redução de custos, devido ao uso de fontes renováveis como a solar, por exemplo, e a maior autonomia do consumidor, garantem que este modelo de negócio continue crescendo.

Estamos gerando, hoje, a energia do amanhã

Aqui, na AES Tietê, cada vez mais, investimos na geração de energia renovável, que garantirá um futuro sustentável para as futuras gerações. Para firmar nosso compromisso, assinamos recentemente, junto a outras 155 empresas e ao Pacto Global da ONU, um acordo para colaborar com a descarbonização, mantendo o aquecimento global em até 1,5°C acima dos níveis pré-industriais, em linha com o alcance de emissões líquidas zero antes de 2050.

Além disso, buscamos aumentar a nossa matriz de geração renovável. Juntos, nossos dois complexos eólicos Alto Sertão II e Tucano, somam uma capacidade de mais de 2,6 GW.

Não podemos nos esquecer da tecnologia, um fator essencial para desenvolver soluções que ajudem nossos clientes na tomada de decisões e também para monitorar, planejar e controlar nossos reservatórios. A digitalização é uma prioridade para nós e é um dos pilares do nosso planejamento.

Nosso Centro de Operação da Geração de Energia (COGE), localizado em Bauru, interior de São Paulo, é reconhecido pelo ONS como um centro de excelência e referência de operação remota no Brasil. A partir dele é possível operar com eficiência e segurança a nossa energia.

Nós estamos preparados para gerar a energia do futuro. Converse com nossos especialistas e saiba mais sobre as nossas soluções e como podemos ajudar.

Fontes:

https://editorabrasilenergia.com.br/claudio-sales-e-eduardo-muller-setor-eletrico-e-o-futuro-que-ja-chegou/

https://epocanegocios.globo.com/Tecnologia/noticia/2019/07/ate-2030-fontes-de-energia-limpa-devem-substituir-fosseis.html?status=500

https://envolverde.cartacapital.com.br/7-tendencias-de-inovacao-e-sustentabilidade-determinantes-para-o-setor-de-energia/