Loading...

Histórias

Soluções

28/05/2019

Por que a autoprodução de energia se tornou tão atraente para os negócios?

por Claudy Marcondes, Diretor de Inteligência de Mercado da AES Tietê

A energia é um insumo essencial para a indústria, com impacto enorme nos custos de produção. Nos últimos anos, tem ganhado força uma modalidade que reduz os gastos e aumenta a previsibilidade das empresas: a autoprodução de energia.

Para 79% das empresas brasileiras, a energia elétrica ocupa o topo da lista de insumos estratégicos. E, segundo um estudo realizado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), pode representar mais de 40% dos custos de produção.

Ou seja, qualquer produto que você adquire tem um custo de energia embutido que pode ultrapassar 40% do valor final. É fácil perceber de que forma um aumento no preço desse insumo poderia comprometer as finanças de uma empresa, a ponto de inviabilizar seu negócio.

A boa notícia é que cada vez mais empresas, para driblar os riscos da flutuação de preços, têm escolhido seguir uma trilha mais ousada e vantajosa: a autoprodução de energia. Trata-se da modalidade em que cabe ao consumidor suprir sua demanda, produzindo toda ou parte da energia exigida pelas suas operações.

Além da previsibilidade, que permite melhor planejamento de longo prazo e maior controle sobre as despesas operacionais, a autoprodução de energia traz também como benefício desobrigar a empresa de parte dos encargos tributários que impactam entre 10% e 30% no custo final de energia. Assim, sobram mais recursos para investir em inovação, gestão e mão de obra qualificada, impulsionando o potencial competitivo.

 

Mais acessível para todos os negócios

Nos últimos tempos, a expansão dos parques eólicos e dos sistemas fotovoltaicos se somou ao desenvolvimento de modelos mais flexíveis de projetos de autoprodução.

O marco regulatório foi atualizado, as tecnologias ficaram mais baratas e as fontes de financiamento se multiplicaram. Assim, autoprodução de energia deixou de ser uma exclusividade das grandes indústrias.

Hoje, existem modelos que possibilitam a dispersão dos custos entre diversas empresas o que torna o sistema acessível inclusive para empresas de médio porte. Abrindo espaço, por exemplo, para setores como comércio e serviços, grandes redes de varejo com unidades em todo o país, redes bancárias, data centers e empresas de telefonia e de tecnologia.

 

Conheça nossas soluções

Qualquer que seja o modelo de negócio ou a modalidade energética, temos a expertise técnica para cobrir toda a cadeia de processos. Após um estudo detalhado das necessidades da empresa, desenvolvemos o projeto a quatro mãos com o cliente, que pode delegar à AES Tietê uma parte ou a totalidade de sua implantação e da gestão operacional.

O Brasil se encontra hoje no limiar de uma nova era de democratização massiva da autoprodução de energia. A sua empresa está pronta para embarcar nessa jornada de protagonismo? Então conheça nossas soluções para os seus desafios em energia!

Para saber mais sobre nossa solução, clique aqui.